18.8 C
Belo Horizonte
sexta-feira, dezembro 3, 2021
spot_imgspot_img

As startups na Ortopedia

Startup é uma empresa que parte de uma ideia inovadora, de baixo custo, com potencial de ser escalável, dentro do ambiente de incerteza. E foi nesse modelo que nasceu a minha aventura no e-HeRO.

Há quatro anos, eu e Daniel Baumfeld, começávamos uma trajetória de um R4 de pé e tornozelo conjunto entre os hospitais Mater Dei, Felicio Rocho e Madre Teresa. Um dos motivos para essa inciativa foi aproveitar a amizade dos serviços e o volume cirúrgico dos 3
hospitais para produzirmos trabalhos científicos. Nascia aí o nossa ideia: montar um app que pudesse construir, gerenciar e compartilhar protocolos de pesquisa entre colegas de diversos cantos do país e do mundo. Nessa empreitada ainda se juntariam os irmãos Tiago
Baumfeld, também ortopedista, e Rafael Zambelli, fisioterapeuta e professor da UFMG.

É assim que nasce uma startup: a busca de resolver uma “dor” conhecida. O primeiro passo foi encontrar um parceiro para desenvolver a tecnologia por trás do app. Horas e horas de calls e de dedicação in loco, aprendendo a linguagem de programação, escolhendo
os layouts de telas, cores e fontes, criando nome e logo do app. Tudo muito novo para todos nós, mas confesso que foi muito estimulante.

Foram quase 18 meses até que o nosso MVP (Minimum Viable Product,) chegasse à loja virtual. Com muito a melhorar, é claro. Mas o salto de uma boa ideia para um bom produto passa por um fator: investimento. De dinheiro, de tempo… Tempo que poderíamos estar nos nossos consultórios, mas que tínhamos que dedicar extra-campo na realização desse sonho.

A primeira parte da experiência foi exitosa. Chegou a hora de uma nova fase. Capitalizamos um novo sócio, um grande amigo do mercado financeiro, Jacques Kentish, que chegou com expertise de gestão e captação de novos recursos. Além disso, precisamos encontrar um CTO (Chief Technology Officer) para ser o cérebro do app, tomando todas as decisões operacionais focadas nas novas tendências de programação.

Finalmente, chegou a hora de tomarmos uma decisão: quem de nós 5 será o coração do e-HeRO? Dedicar parte do seu tempo para ser o CEO da empresa, em tempo quase integral? Decisão muito difícil para nós, ortopedistas, tão focados no nosso dia-a-dia. No entanto, essa é a melhor maneira do app se tornar um produto escalável.

Confesso que tem sido uma aventura muito motivante. Convido todos a se dedicarem as suas ideias. Investir em um sonho é extremamente engrandecedor, ainda mais quando é sonhado com amigos. E o mundo digital está cada dia mais sedutor… Só não pode ter
medo de tentar, viu?!

blank
Dr. Roberto Zambelli – Diretor SBOT-MG

VEJA TAMBÉM